Como fazer para ter energia constante mesmo que você seja muito distraído(a)?

energia constante
Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Você está no meio de uma discussão. Está muito bem concentrado, olhando minuciosamente o próximo argumento, aquela pessoa ao seu lado, virou seu adversário.

Você está tenso, se tornou calculista, está admirado com a sua estratégia de como encurralar a conversa. Apenas espera o momento ideal para isso. De repente, o seu suposto adversário, toca seu ombro e diz: “Bom, e a compaixão aqui, como fica?”

Na imagem da Roda da vida, no reino dos infernos, onde tudo é visto e validado a partir da agressão e da dor, tem um bodisatva oferecendo uma flor de lótus. Isso não é bem-vindo pelos olhos dos seres que estão motivados a andar por agressão e medo.

Essa é uma ação é subversiva ao samsara. Nos jogos de transmigração, é algo extraterrestre falar de compaixão. Os bodisatvas entendem que existem qualidades e virtudes da mente, além das aflições mentais habituais.

Essa é a boa notícia do Darma — operar a mente com qualidades que transcendem o auto-centramento. O vício de centrar em você mesmo. 

Energia constante na ação

Essas qualidades de ação estão sumarizadas nas 6 paramitas. 

A energia constante é precedida por generosidade, moralidade, paz e paciência. É a quarta paramita, é como a armadura do bodisatva. Armadura aqui não diz respeito a lutar contra algo ou alguém, muito pelo contrário,  exemplifica a determinação e coragem de seguir praticando em meio às dificuldades. 

É uma linha, sutil, na divisa entre nosso oferecimento e apego, uma divisão  tracejada, que precisamos olhar vez após vez, se quisermos realmente avançar no caminho. 

A energia constante aquece a nossa capacidade de transmutar o adverso em resiliência. Esperar que as coisas estejam calmas para começar uma mudança interna, é adiá-la a cada momento. Diante das picuinhas, histórias, situações inconvenientes e descontentamento, temos a oportunidade de seguir sem se abalar e, em simultâneo, sem negar nossa abertura. 


Inscreva-se para receber os informativos gratuitos da Roda do Darma por e-mail .



O aspecto prático da energia constante é o fato de você se dedicar com toda a intensidade em suas atividades e sem flutuações, para oferecer benefícios.

Ao encontrarmos com os seres, todos tortos, ao invés de nos sentirmos compelidos, surge um entusiasmo em oferecer ajuda. 

Para ajudar sem se afogar é preciso energia constante.

Um exemplo é vermos outra pessoa afundando na negatividade, e daqui a pouco, nós estamos afundando juntos! O que houve? Estou para oferecer e ajudar os seres a terem bem-estar, felicidade temporária e definitiva. O que deu errado?

A intimidade com a energia constante vem pelo contato nas relações. Por ser uma inteligência aberta, que nos permite ter uma intimidade com a vida, não flutuamos energeticamente, e seguimos com motivação e disposição, ternos, serenos a agir se for necessário. Tudo de maneira relaxada e precisa. Nossa energia independente de gostar ou não gostar. Não temos a sensação de que ajudar é um martírio. 

Sobre o tema, o Lama Padma Samten afirma:

“Essa energia corresponde ao fato de que vamos nos dedicar com toda a intensidade e com uma energia constante, sem flutuação, para multiplicar os textos, para passar os ensinamentos, para ajudar os seres a entendê-los, e para que nós mesmos possamos praticar. Vamos fazer isso incessantemente.”

Ouça agora o podcast “Como fazer para ter energia constante mesmo que você seja muito distraído(a)?”



Referências 

Junte-se a nós!



Participe!

Sobre o autor

Desde 2011, dedica sua atenção e curiosidade à meditação e a sabedoria milenar do Darma. É aluno de Lama Padma Samten. Praticante no CEBB Recife (PE).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *