O que você precisa saber sobre a postura de meditação

o-que-voce-precisa-saber-sobre-a-postura-de-meditacao
Tempo estimado de leitura: 8 minutos

Você tem dificuldades em encontrar uma postura ideal para meditar? Sente que o seu corpo se torna um adversário ao invés de lhe ajudar, para sentar e praticar? Se sente frustrado(a) por isso e acaba adiando o momento de encontro com o silêncio por não saber os detalhes da postura de meditação?

A boa notícia é que não precisamos ter maestria sobre cada postura de meditação. Aliás, você sabia que existem mais de uma postura possível para se meditar?

O ponto é descobrirmos qual ou quais postura(s) nos sentimos mais confortáveis e seguirmos com o corpo como nosso aliado no caminho da lucidez.

“Tudo que você precisa saber sobre a postura de meditação” é uma tradução livre para português brasileiro do texto “Everything you need to know about meditation posture“, de Lodro Rinzler. Será o guia dessa publicação.

Tudo que você precisa saber sobre a postura de meditação

Você se senta para meditar e se pergunta se está fazendo certo? Aprenda tudo sobre a postura universal de meditação aqui. Existe um milhão de formas de meditação no mundo, mas se você andasse pelo mundo fotografando pessoas meditando, muitas delas seriam bem parecidas. Por quê? Porque existem alguns elementos básicos da postura de meditação que são empregados em todo o mundo para acalmar a mente e alinhar o corpo.

Postura de meditação em sete pontos

Eu venho de uma formação budista tibetana, então a estrutura que eu geralmente emprego são os sete pontos de Vairocana. O Buda Vairocana é frequentemente representado sentado nesta postura no centro de uma mandala dos cinco principais Budas. Ele é o senhor da família buda, todo branco representando a sabedoria do espaço todo abrangente, assim como é exatamente o oposto, a própria ignorância que é a força motriz por trás de nosso ciclo de sofrimento.

Ele representa, em parte, a ideia de que nossa ignorância pode ser transformada em um vasto espaço, que pode acomodar qualquer coisa. Não é um mau modelo, certo?

Primeiro ponto da postura: sentar no chão de pernas cruzadas

Para aqueles como nós, que estão acostumados a sentar em uma cadeira, você pode se sentir um pouco intimidado pela noção de sentar no chão de com pernas cruzadas. Este é um bom momento para experimentá-la.

Se você achar que é difícil, você pode assumir uma das mais simples posturas de pernas cruzadas que eu menciono abaixo.

Existem poucas variações em sentar de pernas cruzadas no chão, mas todas elas são melhor apoiadas se tiver uma almofada formal de meditação . Eu sou parcial àquelas vendidas no Samadhi Cushions, pois seus assentos são bem feitos e firmes.

Vale a pena o investimento para comprar uma almofada se você estiver indo seguir uma prática de meditação consistente. E se você for usar travesseiros do seu sofá ou cama, tudo bem, mas é preciso muito ajuste para que você fique sentado o tempo suficiente para que não seja doloroso. Dito isto, se você quiser pegar algumas almofadas resistentes e sentar-se sobre elas para ir em frente, vá em frente.

Seis maneiras de sentar em meditação

1) O quarto de lótus

Aqui você pode se sentar no seu assento de meditação com as pernas cruzadas e os dois pés descansando abaixo da coxa ou do joelho oposto. Eu recomendo este método.

2)  O meio lótus

Esta é uma variação da postura acima. Suas pernas estão cruzadas com um pé apoiado na coxa oposta. O outro pé pode dobrar sob a perna de cima e descansar abaixo do joelho ou da coxa.

3) O lótus Completo

Suas pernas são cruzadas com os dois pés apoiados em cima das coxas opostas em Padmasana (postura de lótus) .

4) A posição birmanesa

Se você não pode se sentar com as pernas cruzadas, tudo bem. Sente-se com os dois pés no chão nesta posição relaxada, também conhecida como Sukhasana (postura fácil).

5) Seiza

Em vez de sentar com as pernas cruzadas, você também pode se ajoelhar e colocar uma almofada ou adereços de ioga entre as pernas. Esta postura de meditação tradicional é essencialmente uma Virasana (posição  do herói) ou Vajrasana (postura do raio de trovão).

6) Cadeira

Finalmente, sim, você pode usar uma cadeira se precisar. Não há vergonha nisso. Apenas certifique-se de sentar-se longe das costas da cadeira e coloque os pés firmemente no chão, alinhados com os quadris e joelhos.

Sim, veja só, não há problema em usar uma cadeira para meditação. Às vezes as pessoas perguntam se podem meditar deitadas. Você pode, mas é mais provável que você adormeça. Se você for fazer isso, você pode colocar os pés no chão com os joelhos para cima, a fim de manter uma sensação de vigília.

Finalmente, sim, você pode usar uma cadeira se precisar. Não há vergonha nisso. Apenas certifique-se de sentar-se longe das costas da cadeira e coloque os pés firmemente no chão, alinhados com os quadris e joelhos.


Inscreva-se para receber os informativos gratuitos da Roda do Darma por e-mail .



Sim, veja só, não há problema em usar uma cadeira para meditação. Às vezes as pessoas perguntam se podem meditar deitadas. Você pode, mas é mais provável que você adormeça. Se você for fazer isso, você pode colocar os pés no chão com os joelhos para cima, a fim de manter uma sensação de vigília.

Segundo Ponto da Postura: Alongar a Espinha dorsal

Tendo estabelecido esta base firme, é importante alongar-se através da coluna. As analogias tradicionais dizem que a coluna deve ser como uma flecha ou uma pilha de moedas, uma em cima da outra. É como se uma haste pudesse atravessar o topo da sua cabeça e descer pelo sua base em contato com o chão. Você quer se sentir erguido, atento quando se senta para meditar.

Terceiro Ponto da Postura: Descansando Suas Mãos

A coisa mais simples a fazer com as mãos é descansá-las no seu colo. Você pode deixar cair as mãos ao lado do corpo e pegá-las no cotovelo e depois colocar as palmas das mãos nas coxas. Este é um ponto natural do eixo no qual descansá-los, fornecendo melhor suporte para sua coluna vertebral. Em seu novo livro The Relaxed Mind, Kilung Rinpoche menciona que sentar com as palmas das mãos para baixo tende a relaxar o fluxo de energia em todo o corpo.

Alternativamente, você pode colocar a mão direita em cima da esquerda, com os polegares tocando levemente, apoiando-os no seu colo no umbigo. Kilung Rinpoche observou que isso cria mais calor e energia no corpo, o que pode ser útil se você estiver com sono. Simbolicamente, a mão esquerda representa a sabedoria e a compaixão correta. Neste gesto você está trazendo os dois juntos.

Quarto Ponto de Postura: Relaxando os Ombros

Deixe os músculos do seu ombro e das costas relaxarem. Seus ombros podem ser empurrados um pouco para trás. Isso estabelece uma parte traseira forte ao abrir o corpo dianteiro. Há um toque de vulnerabilidade neste ponto de postura quando expomos nosso coração terno.

Quinto Ponto de Postura: Resguardar o Queixo

Resguarde um pouquinho o seu queixo. Você não quer ir tão longe que você está olhando diretamente para o seu colo, mas você não quer que sua cabeça fique tão erguida que possa cansar você.

Sexto Ponto de Postura: Abrindo a Mandíbula

Traga uma sensação de relaxamento para os músculos do seu rosto para que sua mandíbula fique aberta. Coloque a língua contra o céu da boca para permitir uma respiração clara e desacelerar o processo de deglutição, que às vezes pode ser uma distração.

Sétimo Ponto de Postura: Descansando o Olhar

Relaxe seu olhar dois a quatro metros à frente de você no chão de uma maneira desfocada. Não escolha padrões no tapete à sua frente. Apenas mantenha um olhar solto. Descanse seus olhos. Às vezes as pessoas não entendem porque devem abrir os olhos durante a meditação. Por um lado, estamos sempre olhando para o nosso mundo – por que devemos tratar a nossa prática de meditação como um tempo para nos escondermos de nossa vida? Em vez disso, é hora de olhar diretamente para quem somos. Então nossos olhos podem estar abertos como um gesto em direção a essa intenção. Em um nível prático, é menos provável que você adormeça com os olhos abertos.

Se você não conseguir meditar com os olhos abertos, pode fechá-los. É importante tomar uma decisão consciente antes de começar a meditar sobre o que você vai fazer ou você vai ficar inquieto toda a sessão de meditação entre essas opções. Já foi dito que a meditação dos olhos fechados leva a mais pensamentos, devaneios e distrações. Mas se este não for o caso para você, você certamente pode meditar com os olhos fechados.

Se você dedicar um tempo para estabelecer sua postura de meditação corretamente, descobrirá que é muito mais fácil descansar sua mente e se conectar com o objeto de sua meditação. Quando você passar por estes sete pontos, você entrará em sua prática sentindo-se relaxado, porém atento.

Bônus: O livro sentar tipo o Buda, de Lodro Rinzler

Alguns trechos:

Sempre que alguém me diz que está querendo meditar eu pergunto: “Por quê?”. Às vezes a pessoa fica surpresa – talvez ela achasse que eu ficaria simplesmente em êxtase ao descobrir que ela está minimamente interessada no assunto. (Na maioria dos casos, eu realmente fico. Aí eu faço minha incrível cara de jogador de pôquer.) Mas o que eu descobri é que, se a pessoa não tiver clareza sobre o motivo de querer meditar, ela vai descobrir muito rapidamente que a meditação não é algo necessariamente fácil e, logo, logo, se sentirá desencorajada e pode acabar não indo mais fundo.

O 1º passo é saber o seu porquê, sua intenção – e a gente vai voltar a falar disso em um minuto. O 2º passo é aprender uma técnica de meditação. O 3º passo é treinar as duas ferramentas necessárias para uma prática de meditação firme: a atenção plena e a consciência. O 4º passo é aprender a ser consistente. O 5º passo é entender de forma mais profunda o que é gentileza. O 6º passo é aprender a lidar com os obstáculos que surgem na meditação. O 7º passo é descobrir como fazer para evitar ser fisgado pelas emoções. O 8º passo é se conectar com o seu estado natural de paz. O 9º passo é se tornar um(a) praticante dhármico(a) – ou seja, autêntico ou autêntica. O 10º e último passo é aprender a repousar no momento presente mesmo quando você não estiver na almofada de meditação.

Photo by Jared Rice on Unsplash



Participe!

Sobre o autor

Desde 2011, dedica sua atenção e curiosidade à meditação e a sabedoria milenar do Darma. É aluno de Lama Padma Samten. Praticante no CEBB Recife (PE).

3 comentários em “O que você precisa saber sobre a postura de meditação

  1. Pingback: Guia de práticas | Shamata – Roda do Darma

  2. Pingback: Meditar para relaxar? Já somos relaxados. | Roda do Darma

  3. Pingback: Como lidar com o sono durante a meditação? | Roda do Darma

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *