Livros para iniciantes no budismo

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Os livros para iniciantes no budismo são indicados para quem chega e deseja ter um norte de como começar. Lembrando que essa lista é apenas uma sugestão e que diversos outros livros essenciais não foram citados abaixo.

1) Meditando a vida

Neste livro o autor usa habilmente exemplos extraídos da vida concreta e moderna para, com leveza, humor, mas muita profundidade, traduzir os valiosos ensinamentos budistas e possibilitar ao leitor que os assimile e vivencie. Ele nos traz ensinamento s absolutamente valorosos, na medida em que, na forma como os transmite, com suas tiradas e referências ao cotidiano, compartilha conosco seu repertório de brasilidade, sua formação acadêmico-científica, sua paixão pelo Grêmio, seu passado de militante político nos anos 60.

2) A joia dos desejos

Se você já tentou meditar e foi invadido por um fluxo desordenado de ideias e pensamentos, vai se divertir com a descrição que Padma Samten faz desses momentos pelos quais todos os praticantes passam e encontrar formas de superá-los. Esse e muitos outros ensinamentos para as práticas budistas estão em A joia dos desejos, em linguagem agradável e acessível.

3) A roda da vida como caminho para a lucidez

Em a roda da vida, o lama padma samten oferece aos leitores um resumo de alguns dos pontos fundamentais do budismo. Descreve os doze passos da construção do sofrimento humano – representados na imagem da roda da vida -, assim como o método para alcançar a lucidez, ou seja, a liberação do sofrimento.

4) Mandala do lótus

A abordagem de cultura de paz apresentada neste livro – de respeito pela diversidade manifestada na nossa existência e reconhecimento das possibilidades de harmonia entre diferentes seres, diferentes circunstâncias e diferentes compreensões da realidade – utiliza o método de argumentação, compreensão e lucidez que constitui a primeira parte de um conjunto mais amplo de ensinamentos. Na linguagem budista diz-se que esses ensinamentos descortinam a visão de mundo chamada de Mandala do Prajnaparamita (ou Mandala da Perfeição da Sabedoria). Esta é a trajetória aqui descrita com suavidade e maestria: transformar a visão, meditar, e agir no mundo. Isolada, nenhuma é suficiente para concretizar uma cultura de paz. Mas, quando praticadas de forma integrada, com foco no benefício de todos os seres, permitem-nos deixar de viver de forma estreita, guiados por visões estreitas.

5) Portões Da Pratica Budista 

Esta coletânea de ensinamentos apresenta a sabedoria tradicional do budismo tibetano aos leitores. O livro entremeia histórias da terra natal de Rinpoche, o Tibete, com uma exploração passo-a-passo dos fundamentos e essência do budismo vajraiana. S. Ema. Chagdud Tulku Rinpoche aponta as causas do sofrimento e tenta ensinar o leitor a lidar com elas para criar-se a liberdade definitiva.

6) No coração da vida: sabedoria e compaixão para o cotidiano

Neste livro, Jetsunma apresenta meios como se pode levar uma vida mais significativa, seja para praticantes experientes, seja para iniciantes no contato com o budismo. “A verdadeira segurança provém apenas do conforto com a insegurança. Ficarmos à vontade com o fluxo das coisas, ficarmos à vontade ao estarmos inseguros, essa é a maior segurança, pois nada pode nos tirar do prumo.”

7) Buda rebelde: Na rota da liberdade

“Quando a nossa mente fica mais calma por meio da prática de meditação, vivenciamos cada vez mais o que está acontecendo, momento a momento. Começamos a ver que a nossa vida — nossa vida verdadeira — é bem mais interessante do que os nossos pensamentos sobre ela.”

8) O que faz você ser budista?

Então você pensa que é budista? Pense de novo. O mestre budista tibetano Dzongsar Jamyang Khyentse, um dos mais criativos e inovadores lamas da atualidade, lança a luva ao mundo budista, desafiando conceitos, estereótipos e fantasias comuns. Com humor e ironia, Khysentse deseja que os leitores a irem além das armadilhas superficiais do budismo – além do romance com contas, incenso ou roupas exóticas – direto ao coração daquilo que o Buda ensinou.

9) Mente zen, mente de principiante

E se você procurar sentar e ficar quieto por algum tempo para descobrir o que é a sua mente? A inocência da primeira pergunta ‘o que sou eu?’ é a mente de principiante. Suzuki traz a prática do Zen como disciplina e caminho viável a postura e a respiração, as atitudes e a compreensão básicas da prática a mente aberta, que inclui a dúvida e a capacidade de ver de forma sempre nova, em seu frescor original.

10) Felicidade genuína: Meditação como o caminho para a realização

No mundo de estímulo excessivo de hoje, a felicidade adquirida por meio de riqueza material e conquistas frívolas tem vida curta. Para alcançar a felicidade de longo prazo, você deve acessar os seus próprios e abundantes recursos pessoais, abrigados em seu coração e mente.

Bons estudos!

Onde comprar muitos dos livros acima para apoiar praticantes brasileiros:

Desde 2011, tem sua atenção e curiosidade roubadas pela meditação e a sabedoria milenar do Darma. É tutor do programa de formação de facilitadores do CEBB, sob orientação de Lama Padma Samten. Praticante no CEBB Recife (PE).

1 comentário em “Livros para iniciantes no budismo

  1. Pingback: Livros para quem quer começar no budismo | Roda do Darma

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *