Podcast | #8 – Estudo sobre as quatro nobres verdades – Alegria sem exigências

alegria
Esse artigo faz parte da série As Quatro Nobres Verdades com 14 publicações
Tempo estimado de leitura: 2 minutos

A alegria usual é atrelada a um estado de euforia e a tentativa desesperada de sairmos do tédio. Isso se torna algo desgastante, tenso. Assim, nós afundamos nesse processo como alguém que deseja largar de algum vício recorrente, mas não tem força própria como começar. Portanto, podemos começar por aí: existe outra forma de andarmos no mundo com mais lucidez?

As quatro qualidades incomensuráveis aparecem no quinto passo do caminho. Essa etapa, acima de tudo, representa o amadurecimento da visão. Como bodisatvas andando no mundo, como podemos trazer benefícios verdadeiros aos seres?

Sugestão para aproveitar os estudos:

  1. Leia o trecho “Darma da vez”;
  2. Procure exemplos em sua vida com pessoas próximas, nos noticiários, nas diversas conversas entre amigos, no trabalho, etc.
  3. Escute a gravação do estudo em grupo no podcast;
  4. Acompanhe o conteúdo abordado no texto e enriqueça a sua compreensão;
  5. Anote as eventuais dúvidas e se preferir, compartilhe com o grupo aquilo que achar apropriado, dentro do escopo do tema.

Alegria sem exigências

Darma da vez

página 26

Aqui estamos falando de uma alegria transcendente, o resultado natural da liberdade. Essa alegria surge quando a nossa natureza se vê livre, operando naturalmente com os elementos anteriores.

É uma alegria transcendente à identidade, um exercício da liberdade. Essa alegria sela a liberação, porque ao contrário de quando estamos autocentrados, e a nossa alegria sempre diz respeito a um elemento de autocentramento, aqui essa alegria não diz respeito a nenhum elemento condicionado, é uma alegria transcendente. Resistimos a essa abertura, por pensarmos que a nossa dimensão de brilho, de energia, de alegria, só vem através da vitória de uma identidade. Então até esse ponto estamos ainda meio aflitos, mas quando a experiência de alegria transcendente brota dentro de nós, então enfim a nossa natureza ultrapassa os limites da identidade.

Quando a pessoa tem essa experiência ela não volta mais a uma condição comum. Essa alegria, ou essa energia é como uma chama que consome os resíduos de samsara. Com essa alegria a pessoa vai se tornar livre.

Ela está dentro de um lugar e as pessoas podem pensar que tem controle sobre ela, mas esse controle não é mais possível, porque a alegria que não vem mais de qualquer negociação, não há uma exigência de algum resultado específico, e ela é maior do que qualquer alegria ou energia que brota na dependência de resultados, ela cauteriza samsara.

Mas no que diz respeito à sexta etapa, Dhiana, existe algo similar, ou seja, existe a experiência de alegria também. Então estamos meditando e de repente temos uma sensação muito boa. Diz-se que essa experiência sela o fim da experiência ordinária, condena samsara. Porque não há nenhuma experiência tão boa em samsara quanto essa. Nos damos conta de que aquela estabilidade é muito boa. Mas aí ainda há um traço de autocentramento, um traço do reino dos deuses, e por isso é que ainda não é o fim, precisamos seguir adiante.

Podcast

 

A seguir, aperte o play e acompanhe o estudo em áudio:

Imagem de Pexels por Pixabay

Se liga na série<< Podcast | #7 – Estudo sobre as quatro nobres verdades – O amor na visão de PrajnaparamitaPodcast | #9 – Estudo sobre as quatro nobres verdades – Equanimidade: como lidar com as crises? >>

2 comentários em “Podcast | #8 – Estudo sobre as quatro nobres verdades – Alegria sem exigências

  1. Pingback: Podcast | #9 - Estudo sobre as quatro nobres verdades - Equanimidade: como lidar com as crises? | Roda do Darma

  2. Pingback: Podcast | #10 – Estudo sobre as quatro nobres verdades – Equanimidade: como simplificar a vida? | Roda do Darma

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *